BLOG

Você tem um Pequeno Negócio? Então aprenda a separar CPF de CNPJ.

Por vocação ou necessidade, o número de pessoas donas do próprio negócio disparou. Mas, infelizmente, metade destas novas empresas não terá vida longa. Em torno de 25% devem fechar as portas antes de completar dois anos, apontam estudos do Sebrae. O motivo? Em parte, por terem que quitar dívidas que não são delas. Mesmo o MEI (Microempreendedor Individual) deve separar as receitas e despesas da empresa das contas que ele, enquanto pessoa física, tem que pagar. Essa confusão nos números acaba sacrificando o caixa da empresa em benefício do dono. E, muitas vezes, quando o empreendedor percebe o quanto isso é prejudicial, já é tarde demais.

Os micro e pequenos negócios representam praticamente 90% dos empreendimentos do país. Muitos deles perderam o emprego na pandemia e empreender foi a única opção. A maioria tem boa qualificação profissional, mas pouco conhecimento em gestão. Estudos revelam que, de cada 10 empresas, 4 fecham as portas por falta de planejamento financeiro. E a confusão com os gastos é um dos principais motivos. Muita gente confunde CPF e CNPJ e isso coloca em xeque a saúde financeira da empresa.

O erro que a maioria dos pequenos empresários cometem

Tem empreendedor que está dentro da empresa, aí chega uma conta de casa – luz, água, ou o colégio do filho – e ele já coloca no caixa da empresa. Ele paga aquela conta como se fosse uma despesa da empresa. Isso vai fazer falta logo à frente. A orientação é definir um valor fixo de retirada mensal – o que os contadores chamam de pró-labore. Isso nada mais é do que a remuneração, uma espécie de salário, ao dono do negócio pelo tempo e pelo esforço dedicados à empresa.

A sugestão é verificar quanto é o salário médio que os profissionais que fazem o mesmo que você recebem. Não é porque a empresa é sua que o seu salário vai ser o dobro ou triplo do mercado.

Como estipular qual será o salário do dono do negócio

Vamos tomar como exemplo um microempreendedor, dono de um salão de beleza. O salário médio de um cabeleireiro hoje é de R$ 2.400,00 na região da capital. O ideal é que o dono do salão deve começar com esse parâmetro e retirar esse valor mensalmente considerando como sendo seu salário. O restante que sobra, o lucro, ele deve reinvestir na própria empresa e garantir um capital de giro, além de fazer um fluxo de caixa. É importante ter conhecimento de todas as receitas e despesas como água, luz, internet, aluguel etc. Com o passar do tempo, a receita aumentando, o valor do pró-labore poderá ser revisto. Mas o que se vê na prática é que muita gente limpa o caixa da empresa para fazer a reforma da casa ou comprar um carro novo, no lugar de usar esta verba para expandir o negócio, comprar um equipamento, investir na divulgação da marca. E aí, sem nenhuma reserva, basta um pequeno imprevisto e a empresa se vê sem dinheiro.

Organizar os custos para diminuí-los é fundamental

Quem mantém o CNPJ afastado do CPF tem facilidade em dizer se a empresa está dando lucro, qual o valor das sobras e também dos custos de manutenção. E ter isso à mão permite reavaliar suas escolhas e promover mudanças para tornar sua gestão mais eficiente. Quanto você gasta com produtos de limpeza? E com juros? E com as tarifas do banco?

Rever custos também envolve a renegociação de dívidas. A pandemia gerou uma quebra brusca na demanda. Muitas empresas viram o faturamento despencar de um mês para o outro e não conseguiram honrar seus compromissos financeiros. Fugir dos credores, definitivamente, não é o caminho, o melhor é ter uma conversa franca e honesta e falar das dificuldades, pedir um prazo maior para quitar a dívida.

Se necessitar de um empréstimo para manter a empresa funcionando, pesquise! Não assine contrato com o primeiro que lhe oferecer, há várias linhas de crédito disponíveis no mercado, e com juros cada vez menores.

Para quem anda meio desmotivado, mais uma vez eles, os números, comprovam que a reação econômica já começou. Além disso, há várias oportunidades em meio à crise. Muitas empresas que não vendiam de forma remota, pela internet, começaram a vender. Aproveite esta parada para verificar se não tem outros nichos de mercado que você pode explorar e boa sorte!

A Solvção está à disposição para ajudá-lo e esclarecer suas dúvidas, é só entrar em contato com a gente pelo telefone 11 4858-4085 ou WhatsApp 11 95050-1217 ou e-mail: contato@solvcao.com.br

Precisando de especialistas para cuidar da contabilidade da sua empresa e ter mais tempo para se dedicar à administração e aos novos projetos?

Aqui na Solvção você encontra o que precisa! Nós cuidamos de toda a sua contabilidade enquanto você foca nos seus negócios!

WhatsApp chat

Esse site Utiliza cookies para uma melhor Experiência. para mais informações conheça nossa política de privacidade